mamba negra, de Myriam Campello

Ela era a ____ da minha vida. Então quando acercou-se naquele dia e disse, Sei que me ama e sou perfeita para você mas adeus, suas palavras se chocaram contra a porcelana chinesa de meu peito, ribombo vindo do céu que eu julgara azul, quedei espatifada no chão silencioso, até hoje encontro cacos de mim sob móveis distantes, pequenos fantasmas cobertos de poeira, só os olhos de fora, é uma ____.

No segundo anterior nada previa o golpe mas quando ele chega ____, não se enganem, ou está de tocaia quando é você que o inflige, que o desfere de própria vontade, todos guardamos em nós o carrasco e a vítima, basta soprar o vento da Fortuna, nunca entendi porque razão um sentimento sublime honroso e ____, que te entretece às fibras de outro ser, poético para dedéu, cheio de significados, traz consigo essa carga de morte.

A mamba negra é um ofídio belo boca e língua pretas, resoluto, avesso a mimimis, quando pica o sujeito ele estrebucha e resta onde quedou-se, tal a violência do arremate. A África subsaariana sabe que a Dendroaspis polylepis vale cada centavo do seu bote de ouro. Os zulus, peritos na questão, chamam a poderosa de “morte que anda”.

Bem, o amor não é qualquer ____ ou poça dágua que se supera com um passo mais amplo e sim algo de porte, exige todos os seus ____, perde-se anos remendando a alma, o fato é que ali estava eu e ali ela como no duelo final de um bang-bang, só que desta vez seria eu quem morreria, isso dói mais do que quando morre o outro, quando o outro morre também dói mas menos.

Inútil questionar um ser que já levantou velas. Fala-se a uma parede como se fosse dotada de audição. Perguntei apaixonara-se alhures? novo amor vencera o sólido sentimento que nutria por mim? Quando te respondem com o silêncio é melhor pensar rápido. Ela por sua vez quis saber por que parei de seduzi-la. Depois do primeiro segundo o sangue me ferveu. Sou professora as contas me perseguem, trabalho muito para esticar a grana, tarefas extras bico faço tudo para transformar o nada em alguma coisa por mais tênue que chegue ao fim do mês. E carreira, expectativas que atormentam alguém fora da curva, e o martelar das coisas práticas que é sempre um juggernaut me esmagando. Parei de seduzi-la? Acaso sou um mandarim coçando o saco e contemplando os lótus, forrado de dinheiro e com tempo sobrando? Você é uma ____ ____ ____ ____, reagi mortalmente atingida.

Só duas gotas de veneno bastam à mamba para fazer um adulto comer terra, pois lhe faltam palavras. A pobre cobra podada de oratória precisou desenvolver seu próprio método de inserção ____, mudo mas eficaz como uma frase humana no momento propício. Nessa linguagem cristalina e de gramática fácil passou a interagir garbosamente com o resto do planeta e se deu bem, os homens entendem a beleza da simplicidade. Havendo mais serpentes assertivas assim a vida fluiria numa ordem impecável.

Eu tomava o pontapé sem mais aquela e a culpa ainda era minha?! Vivemos num mundo injusto, de regras desalmadas. Equilibrar bolas no nariz terminar a tese congressinhos básicos exigências diversas tudo isso pode desde que me vista de Arlequim, foca amestrada em momento sabático. Nunca se sabe o rumo dessa barcarola, o que deseja, ao que aspira no ____ seguinte. Uma amiga esmerou-se em lingeries feitas para derreter um monge empenhado em seus votos, mas o marido, depois de uma discussão de monta no escritório, chegando em casa olhou-a como ao primo que lhe dava birra e teve dor de cabeça. Outra empapelou o apartamento com bilhetes ternos mas entre estes e o amado irromperam as exigências ferozes da síndica no corredor, causando no homem tal distúrbio que entrando pela porta só enxergou nos bilhetes ordens da generala. A criatura de quem nos despedimos de manhã dificilmente é a mesma que nos volta. Atentem para o clima geral olho no olho antes de se lançarem a recursos voláteis, a vida é cruel ¬¬com as esperanças, ninguém tem o mínimo sossego, mais prudente dormir com um olho aberto do que fechar os dois e acordar na Geena.

A velocidade da mamba é outro atributo ____, vai direto ao ponto e larga o morto no chão, não quer saber, busca novas terras, tristonha pelo que deixou mas contentíssima com a viagem presente, não devemos julgá-la. É rápida e concisa ao matar não por querê-lo e sim por seu viés fisiológico ao enfrentar questões complexas. O passado é uma pele à espera da pele futura, é preciso largá-lo, diz a natureza, uma nojenta que só faz acompanhar com os olhos a descida humana para o abismo. Motherfucker!

Mas não percamos a pouca compostura só porque a alma imortal é sinuosa. Os amantes mentem desmentem negaceiam e torcem tudo como a um lençol lavado pingando suas águas. Bons tempos aqueles em que o rubor do outro nos guiava. Agora ficam todos em sua própria cor, imperturbáveis, peregrinos austeros acima de suspeita. Quando perguntei pela segunda vez à moça próxima se conhecia fulana, ela titubeou gaguejou e engatou três frases ____ antes de dizer “pessoalmente não”, leve variação para quem ontem mesmo afirmara desconhecer fulana ponto. Embora distraída tenho ouvido fino para dissonâncias, a mentira é musical em sua própria força, pesco-a no fundo do mar se for preciso, para outras coisas durmo em pé mas nisso sou um porco das trufas. Desenterro essa morte pelo faro ainda que sobre depois muito pouco de mim.

Não costumo brigar contra a paixão alheia, crime sem assassino, ferrou está ferrado, o jeito é se mandar comece o luto, nada como a sucessão dos dias, nada como os prados verdes que te esperam, nada como o nada. Essa atitude ____ serena sábia budista desprendida só acontece porque antes que eu contrate um jagunço para me trazer o coração pulsante e traidor, um demônio atento espeta-me com o garfo e me lembra minhas próprias perfídias no terreno. Aceitação cristã deve ser isso.

A neurotoxina da mamba vale uma ode à perfeição da química. Desliga o sistema nervoso do sujeito como quem puxa uma tomada e detém tudo por onde se entranha, trem para o beleléu. Ruma ao contrário com certeza olímpica mas todos querem um lugar nessa viagem. A humanidade, sabemos tão pobrinha que não pode recusar o sentimento só por este ser uma ventoinha desvairada. É ____! Muitos pronomes possessivos cingem tal temática embora o amante não possua coisa alguma de seu, sequer um botão velho esquecido no bolso. Com sorte ele arrasta essa riqueza até à próxima esquina e ali fica, desde que não se distraia, o amor não vale mesmo o pão que come. Portanto amem. Mas sempre um olho no bandido outro no guarda.

2019

Myriam Campello (Rio de Janeiro) é romancista, contista e tradutora brasileira. Publicou Cerimônia da noite (romance, 1971), vencedor do Prêmio Fernando Chinaglia para romances inéditos, Sortilegiu (romance, 1981), São Sebastião Blues (romance, 1993), Sons e outros frutos (contos, 1996), Como esquecer, anotações quase inglesas (romance, 2003), adaptado para o cinema, Jogo de damas (romance, 2010), Adeus a Alexandria (romance, 2014) e Palavras são para comer (contos, 2017), finalista do Premio Rio de Literatura em 2018.