três poemas de Ellen Lima

lima_capaA gueto publica com exclusividade três poemas do livro Ixé ygara voltando para `y’kûá (Canoa voltando pra enseada do rio), da escritora Ellen Lima, brasileira de origem na etnia indígena Wassu, que reside em Portugal e escreve em português e tupi antigo. Uma publicação da Editora Urutau (editora brasileira com sede em Portugal e Galícia).

“Tem uma força política muito grande publicar em Portugal uma escritora de origem indígena. É necessário divulgar os debates e as epistemologias produzidas por estes povos não só internamente, mas principalmente em Portugal, que tem a história entrelaçada a nossa, e mais ainda aos originários. A voz poética criada pela Ellen no livro remonta os sentimentos mais íntimos de uma indígena contemporânea não aldeada, trata-se da vida de milhares de pessoas que precisam lidar com a desumanização de seu povo ao mesmo tempo que entendem ser necessário reafirmar-se enquanto indígena mais do que nunca neste momento”, explica o editor Wladimir Vaz. A obra está disponível para venda no site da editora Urutau [link].

Retraterritorialidade

Há dias em que me retrato, e nada.
Há dias em que o retrato

retrata tudo que as lentes não sabem ler.
as dores, os amores, as saudades.
Às vezes até minhas outras três vidas.
Tem dias que o retrato mostra a moça Wassu.
E tem dias que o retrato é coberto por ilusões ocidentais.
Tem dias que sou, e nada mais.
Tem dias que… é só um rosto, vazio e mais nada.

Outro erro de português

Peró chegou e mandou que parasse o
nhen, nhen, nhen.
A-nhe’eng abé
Oro-nhe’eng também,
nhen, nhen, nhen,
nhen, nhen, nhen,
nhen, nhen, nhen.
De castigo, cortaram nossa língua
no tempo e no espaço.
Suspenderam os cafunés e abraços
da voz dessa mãe daqui.
Mas um dia,
ainda cortamos a tua língua
e oro-karu com abati.

ÍNDICE TUPI
nhen, nhen, nhen — é uma expressão popular na língua portuguesa que significa falatório ou murmúrio (quase sempre sugerindo que quem fala é monótono ou está a aborrecer o interlocutor). A expressão “deixar de nhen, nhen nhen” quase sempre sugere que o outro pare de queixar-se e execute uma tarefa que lhe foi dada.
nhe’eng — verbo falar em tupi antigo.
peró — português / homem branco.
a-nhe’eng — eu falo.
oro-nhe’eng — nós falamos.
abé — também / igual.
oro-karu — nós comemos / abati — milho.

Yby, ́Y,Ybytu, Tatá

Ixé ygara voltando para `y’kûá.
Ixé ybyrá de raízes que voam.
Xe r-oka é o vento,
Xe r-oka é a água.
A-guatá pelo mundo,
Às vezes longe de casa,
Às vezes perto de mim.
Xe r-oka é a terra
Da floresta, da ilusão do ocidente,
estrada, fumaça ou curupira.
Longe ou perto de casa
sou yby r-aîyra.

ÍNDICE TUPI
poranduba — pergunta / mamõ-pe ere-îkobé — de onde você é / onde.
você vive? / a-ikobé — eu venho / seu moro / pupé — em / dentro de.

Ellen Lima é professora, artista, poeta e mestra em Artes. Nasceu no Rio de Janeiro e é indígena de origem Wassu Cocal (Maceió-AL). Atualmente cursa o doutoramento em Modernidades Comparadas: Literaturas, Artes e Culturas na Universidade do Minho, em Braga, onde mora.