fantasmas, de Veronica Stigger

O que se vestia de bailarina virou polícia; o que tinha ideias revolucionárias, também; a que lavava o cabelo com leite, advogada de causas perdidas; o comunista, carola; o de língua presa, chef; o mais pirado, dono de pizzaria; o que viera do centro do país, agrônomo; o bonitão da turma, médico em Estrela; a que amava os esportes, vegana; a de rosto redondo, arquiteta; o ruivo, também; o que não tinha os mamilos, contador; o que não brigava com ninguém, publicitário; a que brigava com todo mundo, técnica do Tribunal de Contas da União; o que misturava lambada com Frank Sinatra, ginecologista; a mau caráter, escritora; o discreto, fotógrafo; a fofoqueira, tabeliã; o atencioso, como era de se esperar, professor; a Branca de Neve, proctologista; a que quase não falava fugiu para a Austrália; a crespa alisou os cabelos; o liberal continuou liberal; o grandalhão está estudando húngaro; o piadista ainda sonha em ir para a Tailândia; o que tinha cabelo de Príncipe Valente, para o Canadá; os dois que tinham doenças congênitas morreram aos 30 e aos 44 anos respectivamente; há ainda o que comprou uma casinha numa praia em Santa Catarina; o que se perdeu na Patagônia; o que vai sempre esquiar em Bariloche; o que foi morar na China; a que se escondeu em São Paulo; o que foi parar numa capital do nordeste; a que se encontrou em Brasília; o que se mudou para o interior do Rio Grande do Sul; o que voltou a morar com os pais; o piloto de avião; a ecologista; o bancário; a dentista; a defensora dos animais; a cuidadora de velhinhos; o gerente da loja de eletrônicos; o diretor da firma; o analista de sistemas; o engenheiro; a esportista; o treinador de futebol; as arquitetas; os arquitetos; as advogadas; os advogados; a professora universitária; o professor de línguas; a herdeira; o mendigo. E havia o Sandro, de cujos rosto e sobrenome ninguém se lembra, mas que, durante muito tempo, se sentou ao meu lado nas aulas.

Veronica Stigger é escritora, crítica de arte e professora universitária. Tem doze livros publicados. Entre eles, estão Opisanie świata (2013), Sul (2016) e Sombrio ermo turvo (2019).