o fogo o fogo, poema de Alberto Lins Caldas

● [o fogo o fogo — a agonia do fogo — seu tumor — ●
● a fumaça — o fogo o fogo — fogo dentro e fora — ●
● antes e sempre — devora cidades — florestas ●
● universos — fogo — a loucura fiel do fogo — o fogo ●
● o fogo — a fumaça — respirar fumaça — respirar ●
● o fogo o fogo — a carne dura do fogo — o fogo ●
● o fogo — a fome — a gula — do fogo o fogo o fogo] ●

● inexistente o tempo o fluxo amolece as carnes ●
● como doem as juntas — caem cabelos brancos ●
● como merda de pombos nos bancos das praças — ●
● a vida não brinca — a vida não ri — a vida é foda — ●
● trilhos entre rochas q se esmigalham — o corpo — ●
● trilhos q se enferrujam — mergulham na terra — ●
● nem os largos dias de prazer e alegria — a dor ●

● desabados como bonecos de palha no campo — ●
● cheios de baratas vermes ratos carrapatos — ●
● desejos mortos do sol ocultos na escuridão — ●
● olhando paredes sonhando o grande nada — ●
● não vimos q a beleza é só isca fraca e fútil — ●
● quando abrimos os olhos é hora morrer e só — ●
● resta se dissolver — deixar de ser — nonata e não ●

● nem minha morte — toda morte — morte gelada ●
● do escorpião — jamais existente o tempo beija ●
● meus olhos — a boca — as mãos — o caralho — ●
● a ponta dos peitos — os joelhos — pés e dedos ●
● dos pés o vazio — o vazio como esperma seco — ●
● depois depois nem isso — jamais jamais — não — ●
● sem deus sem anjos sem paraíso ou inferno ●

● nada juntara pedaços — as cinzas — o pó o pó — ●
● tudo só espalhara mais e mais e nem o nada — ●
● nem o aroma de flores mortas no outono — não — ●
● nem a lama de neve das ruas em ruínas — não — ●
● jamais a primavera — as chuvas — o vento — não — ●
● nem o perfume morno das vulvas vibrando — ●
● nem a desarmonia infinita do desejo — nada ●

● [o fogo o fogo — a agonia do fogo — seu tumor — ●
● o fogo o fogo — a carne dura do fogo o fogo ●
● o fogo — a fome — a gula do fogo o fogo o fogo ●
● antes e sempre — devora cidades — universos — ●
● o fogo — a fumaça — respirar fumaça — respirar ●
● o fogo — o fogo o fogo — dentro — dentro e fora ●
● o fogo o fogo — a loucura fiel do fogo — o fogo] ●

Alberto Lins Caldas publicou os livros de contos Babel (Revan, Rio de Janeiro, 2001), Wyk (Bagaço, Recife, 2007), Gorgonas (Companhia Editora de Pernambuco, Recife, 2008); os romances senhor krauze (Revan, Rio de Janeiro, 2009), Veneza (Penalux, Guaratinguetá, 2016) e a grande morte do conselheiro esterházy (Penalux, Guaratinguetá, 2018), as trinta metamorfoses de on foya (JusttFiction, Riga-Estônia, 2018). Os livros de poemas No Interior da Serpente (Pindorama, Recife, 1987), Minos (Íbis Libris, Rio de Janeiro, 2011) e De Corpo Presente (Íbis Libris, Rio de Janeiro, 2013), 4×3 — Trílogo in Traduções (Ibis Libris, Rio de Janeiro, 2014) com Tavinho Paes e João José de Melo Franco, a perversa migração das baleias azuis (Ibis Libris, Rio de Janeiro, 2015), a pequena metafisica dos babuinos de gibraltar (Ibis Libris, Rio de Janeiro, 2016), minha pessoa sob o domínio dos bárbaros (Íbis Libris, Rio de Janeiro, 2018), tântalo (Flan deTal, Vila do Conde-Portugal, 2019).

Blog: http://poemasalbertolinscaldas.blogspot.com/