cinco poemas

aceitei que sou louca
que meus joelhos rangem e meus cotovelos furam
meus olhos latejam
as pálpebras tremem
aceitei minha loucura como uma gravidez de cadela
de poucos meses
e muitas tetas

o problema de ser louca
e ter a cabeça cheia de ideologias
convicções e fantasias [políticas]
é que não te oferecem um quarto sem trancas
um refeitório branco com bandejas vazias

a prole da minha insanidade desceu pelas minhas pernas
estendendo os braços
e já tinha alguns anos — que não pude contar
eu somente a fitei com os olhos borrados
os cílios duros de rímel
as unhas que cortei no dente

“mãe, me tome em seus braços”
minha loucura clamava
em prantos que não se repartiam dos meus
e nós choramos
loucas de primeira viagem
a minha loucura
e eu

*

desistir é coragem difícil
somos programados
para tentar

deslizando aos barrancos
a pele das pernas
esfolada
os pulsos marcados
pelos rosários

é preferível morrer
sorrateiramente
em gorduras
açúcares
refluxos
pedras nos órgãos
no peito

mas desistir
essa é uma coragem
que todos
não temos

*

minhas paredes
desabaram

— só se ouviu
o som —

oitocentos reais
de tijolos cimento
azulejos rejunte
branco

— as paredes
foram
desabando —

como todos
os grandes
muros

políticos
protetivos
cativos
coloridos
mijados

— onde se escoram
os cansados —

minhas paredes
cumpriram
seu tempo

*

saí para a varanda
aos 14 graus
da tarde
sem blusas

viria
a primavera
as roupas leves
— mas
meu peito é pesado
e quente

dentro de mim não faz
brisa

é sempre
mormaço

*

o cigarro
pendente
entre os lábios
e a fumaça
escapando
como bruxaria
num ritual
pra me atrair

quis dizer
solta em mim
me marca
com esse cheiro
que agora é teu
que quero noss

entre saliva
e nicotina
uma vontade
tão grande
de molhar teu lençol
escorrer no colchão
deixar lembrança

me pega
assim
com essa mão
eu troco de dedos
de posição
mistura
teu gemido
com o meu
que eu quero
me espalhar
nos teus pêlos

feito aviso
colada
um vício
escolhido
uma entrega
tragada

Jarid Arraes nasceu em Juazeiro do Norte, na região do Cariri (CE), em 12 de Fevereiro de 1991, é escritora, cordelista e autora dos livros As Lendas de Dandara e Heroínas Negras Brasileiras. Atualmente vive em São Paulo-SP, onde criou o Clube da Escrita Para Mulheres. Até o momento, tem mais de 60 títulos publicados em Literatura de Cordel, incluindo a coleção Heroínas Negras na História do Brasil. Site: http://jaridarraes.com/