poema conjugal

O campo se estende
por árvores de eucalipto
onde caminhos começam
e terminam…
O tempo
jogou as sementes e o vinho.

O espaço em que (des)conhecemos
o nosso cruzamento
inclinou seu milagre
sobre o seio de pedra

do destino varrido

dos salões do limbo.

Eu me reconheço em nós,
na miscelânea
de nossas poesias mitigadas
dia e noite.

Yuri Hícaro é escritor potiguar, formado em letras pela UERN, e mestrando na área de Literatura Marginal. Editor do blog Poemas da estrada. Autor do livro Um Canto Conforme a Noite (independente, 2013).