audição cega

The Voice Angola

“Whisper words of wisdom
Let it be”
(The Beatles apud Alfredo Yungi)

sonorizar a extensão
de uma vala
de uma presença
de uma dor
da privação de coisa qualquer
urgente ou desnecessária
dedilhar escalas inexistentes com dedos leigos
de mãos leigas que não sabem se ficam no bolso
ou tamborilam o ritmo no nada

entalhar música no ar
raro efeito
quando da falta
das inexatas ferramentas
dentro do som
de dentro das suas vozes
moldamos todos os nossos
instrumentos transparentes
de nossos músicos imaginados

e estragar a solenidade fechada
na cerrada pálpebra do que se diz
história
e na semínima que é aquela eternidade
de visão ofuscada
enquanto o breu interior negocia com o clarão
de janela bruscamente escancarada
deixar-se calar pelo som
das gargantas das almas silenciadas

e não são já mais os fantasmas
viajantes solitários

Ricardo Escudeiro (Santo André-SP, 1984) é autor dos livros de poemas rachar átomos e depois (Editora Patuá, 2016) e tempo espaço re tratos (Editora Patuá, 2014). Graduado em Letras na USP, desenvolve (ou não) projeto de mestrado com interesse em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e Estudos de Gênero. Atua como assistente editorial na Patuá. Possui publicações em mídias digitais e impressas: Mallarmargens, Germina, Jornal RelevO, LiteraturaBr, Revista 7faces, Flanzine (Portugal), entre outras. Publicou mensalmente, entre 2014-2016, poemas na Revista Soletras, de Moçambique. Participou das antologias 29 de abril: o verso da violência (Editora Patuá, 2015), Patuscada: antologia inaugural (Editora Patuá, 2016), Golpe: antologia-manifesto (Punks Pôneis, 2016) e Poemas para ler nas ocupa (Editora Estranhos Atratores, 2016).