semiluz

Sofro da loucura frágil
dos semilúcidos
que se apavoram
com sua luz só réstia
potente em servir
implacável em apontar
as sombras das veias
insubordinadas

desses que alucinam de dor
impecáveis em pecar
por excessos absolutos

porque o único medo
corpo e mundo convulsos
é não viver de todo
o abalo sísmico
e quase sem pulso
a única certeza
a de sobreviver
com vida

Esther Alcântara é brasileira e vive em São Paulo. Formada em Letras e Especialista em Língua Portuguesa, atua como editora e revisora de textos. Em 2015 participou da exposição de livro de artista Entre a Obra e a Dobra: Memórias, com a obra Raízes. Em 2016 lançou Vinte poemas para serem lidos com lupa, projeto inovador em forma de minilivro (2 x 3 cm), e participou da Antologia Senhoras Obscenas. Seu livro Piracema tem lançamento previsto para abril de 2017.