os cães têm dilatado o tempo e o espaço

me sinto como
se eu tivesse
o coração
de um cachorro
e o tempo
passasse
em milhões
e milhões
de anos

e
de lá
até aqui
foram
milênios
decênios
gerânios

e eu não sei se isso
é saudade

eu acho que é

é a sua ansiedade
de bosta
você diz

e eu abano o rabo.

Felippe Regazio vive em São Paulo e escreve. Publicou Oceana, em 2013, pela editora Ponto da Cultura, Atentado Contra a Vida das Coisas Belas, em 2015, numa edição artesanal. Em 2016, foi menção honrosa pela USP com os poemas do livro Sonata em Mi Menor Para Porcos e Outros Quadrúpedes. Também organiza antologias alternativas e tem diversos trabalhos publicados em revistas, como Subversa, Labirinto Literário, Mallarmargens e O Emplastro, além de alguns jornais locais.